Udemy reforça operação no Brasil: chance para aprender e ensinar online

Udemy: para aprender e ensinar on-line

Time Udemy no Brasil: Renê Chiari, Renata Barros, Paulo Andrade, Gabriela Ermini e Sergio Agudo

De olho na necessidade de pessoas aprenderem novas habilidades, a Udemy, um dos maiores marketplaces de aprendizado online do mundo, que abriga cursos de pessoas que acreditam que tem algo a ensinar, desembarcou nessa semana no Brasil. Quer intensificar a presença no mercado que mais cresce, o brasileiro. Antes mesmo de abrir o escritório, com sede em São Paulo, o país já figurava entre as suas principais regiões, ao lado dos Estados Unidos, Reino Unido, Índia e Alemanha. Em todo o mundo contabiliza cerca de 24 milhões de alunos e 35 mil instrutores, 9 línguas e 18 moedas. São cerca de 3 mil novos cursos (ou atualizações) por mês, uma média de 250 brasileiros, especialmente na área de tecnologia, design e fotografia.

A meta da unidade é triplicar a operação nacional em até 18 meses. A chegada da Udemy confirma, no Brasil, o boom de e-learning (aprendizagem on-line) e edtechs (startups da área de educação) e reforça o desafiador cenário para o ensino tradicional. Mais do que se preparar para empregos do “futuro”, ou aprender um novo hobby, a plataforma é ainda uma fonte de renda extra para profissionais de diversas áreas. Há alunos brilhantes em todo mundo, assim como professores. Sem sala de aula, sem fronteiras.

A Udemy não é uma escola. Os professores são os “donos” do conteúdo comercializado e ganham uma participação sobre a venda – um modelo que se repete em outras plataformas. Como disse o gerente da operação brasileira, Sérgio Agudo, entre as vantagens estão a acessibilidade (os cursos mais baratos giram em torno de 40 reais), a mobilidade (pode ser feito pelo celular) e a agilidade em encontrar temas inovadores, diferentemente de instituições de ensino tradicionais. Em 2013, por exemplo, já havia no site cursos sobre a criptomoeda Bitcoin.

Assista entrevista com Sérgio Agudo.

O analista de sistema Jamilton Nascimento conheceu a Udemy como aluno, em 2015, e logo depois tornou-se instrutor de um curso sobre desenvolvimento de aplicativos. Atingiu neste ano a marca de 100 mil alunos, quase cinco vezes a população inteira da cidade onde nasceu, Itatinga, no interior de São Paulo. “Deixei meu emprego e hoje ganho o salário equivalente ao de um presidente de empresa”, afirma, sem revelar números.

Escute entrevista com os professores Jana Ramos e Jamilton Nascimento.

As histórias não são menos interessante do que a do fundador da Udemy, Eren Bali, que nasceu em um vilarejo da Turquia, um lugar de difícil acesso à educação. Quando ganhou um computador de seus pais, aprendeu matemática na internet. E quis ajudar outras pessoas. Assim nasceu, já no Vale do Silício (EUA), em 2009, a Udemy.

Leia mais:

Monetizze: da borboleta virtual ao faturamento de oito dígitos mensais

Compartilhar

X