Samba Tech foca em solução para alavancar negócios por meio de vídeos

Samba Tech foca em solução para alavancar negócios por meio de vídeos

A belo-horizontina Samba Tech, que nasceu em 2004 ao criar e distribuir jogos para celular, é hoje uma das líderes em distribuição de vídeos online na América Latina – registra mensalmente, por meio da tecnologia que oferece, mais de 300 milhões de estudantes, 100 mil funcionários treinados, 5 bilhões de requisições, em quase 30 países. Um foco em 2019, segundo o diretor de marketing Pedro Filizzola, é a solução Samba Play – uma plataforma onde qualquer produtor de conteúdo, sejam pessoas ou empresas que queiram ganhar dinheiro vendendo os seus vídeos na internet, no modelo de assinatura ou venda pontual, pode ter o seu próprio canal.

Esse mercado tem nome: OTT. É a sigla para Over the Top, que nada mais é do que entrega de conteúdo audiovisual pela internet. TV a cabo fica fora deste mercado, entram, por exemplo, Netflix e outras plataformas digitais. Antigamente (não tão assim), pessoas e empresas que desejavam investir em vídeo na internet tinham o Youtube como principal canal de distribuição. Por meio do OTT, as opções de monetização aumentam e o produtor tem mais domínio sobre o conteúdo. Do outro lado, está o telespectador, que hoje quer assistir somente o que deseja, em qualquer hora e lugar, em múltiplas telas e pagando cada vez menos. O Brasil, hoje, é considerado o 8º maior mercado de OTT do mundo.    

A Samba Tech não revela seu faturamento e outros dados financeiros. Informa somente que, em duas rodadas de investimentos, recebeu aportes de R$ 3 milhões da FIR Capital, em 2009, e de R$ 10 milhões, do Grupo Familiar José Augusto Schincariol, em 2016. A empresa conta com cerca de 100 funcionários em Belo Horizonte e São Paulo. Já foi eleita, pela plataforma FastCompany, como uma das empresas latinas mais inovadoras. O presidente da startup, Gustavo Caetano, foi eleito em 2016, pelo site Business Insider, o “Mark Zuckerberg brasileiro” devido a sua trajetória inovadora e empreendedora.  

Leia mais:
SingularityU promove evento sobre Pessoas e Organizações Exponenciais
Economia circular: menos extração de recursos naturais, mais negócios
Love Economy: movimento quer mudar tom de ganância do capitalismo 
Entrevista: Filipe Ivo, embaixador da Singularity U em Belo Horizonte
Nova economia e inovação no jornal Estado de Minas

Compartilhar

X