Programa Bolsa Pampulha recebe a artista Virgínia de Medeiros - Blank Space

Programa Bolsa Pampulha recebe a artista Virgínia de Medeiros

O Bolsa Pampulha, programa realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, e pelo JACA – Centro de Arte e Tecnologia,promove, no próximo dia 12, a palestra, seguida de bate-papo, da artista visitante Virgínia de Medeiros. O evento será no Museu de Arte da Pampulha (avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585), das 15h às 17h. A participação é gratuita e faz parte da programação do Bolsa Pampulha 2018/2019, que tem o propósito de estimular a produção e a pesquisa em artes visuais na capital mineira, contribuindo para o processo formativo da comunidade artística local e nacional.

A partir da perspectiva prática vinculada à sua própria trajetória, aVirgínia de Medeiros apresentará questões que permeiam a relação entre arte, empatia, afetos e política em seus trabalhos realizados entre 2003 e 2018. A artista atua na área de arte e tecnologia com ênfase em vídeo-instalação e audiovisual. Seu trabalho converge de estratégias documentais para ir além do testemunho, questionando os limites entre realidade e ficção. A artista lida com o deslocamento, a participação e a fabulação, adaptando imagens documentais para usos subjetivos, pessoais e conceituais, propiciando a revisão dos modos de leitura e representação da realidade e da alteridade.

Próxima palestra

No dia 9 de junho é a vez da curadora, pesquisadora e crítica de arte Júlia Rebouças participar da programação do Bolsa Pampulha em um encontro aberto ao público. Ela foi co-curadora da 32ª Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, nos 18º e 19º Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil. Em 2013, foi curadora adjunta da 9ª Bienal do Mercosul, em Porto Alegre. A palestra, seguida de bate-papo, também ocorre no Museu de Arte da Pampulha e a entrada é gratuita.

Artistas do Bolsa Pampulha 2018/2019

Foto: Nicolas Soares

Dez artistas foram selecionados para a 7ª edição do Bolsa Pampulha: Alex Oliveira (BA), Guerreiro do Divino Amor (RJ), David de Jesus do Nascimento (MG), Dayane Tropikaos (MG), Gê Viana (MA), Sallisa Rosa (GO), Sara Lana (MG), Simone Cortezão (MG), Ventura Profana (BA) e Desali (MG). Eles iniciaram, em março, a residência artística, no Museu de Arte da Pampulha.

Durante o período da residência artística, ao longo deste ano, serão realizados encontros regulares com o coletivo curador, composto pelos coordenadores do JA.CA, Francisca Caporali, Samantha Moreira e Mateus Mesquita. Também acontecerão encontros com a comissão de acompanhamento, formada pelas convidadas Beatriz Lemos, Júlia Rebouças e Mônica Hoff, além de representantes do JA.CA e do Museu de Arte da Pampulha.

Francisca Caporali, diretora do JA.CA, conta que foi proposto para esta edição do Bolsa Pampulha um processo no qual profissionais mulheres foram convidadas para compor a comissão de seleção e de acompanhamento e elas selecionaram um grupo que trata também de diferentes protagonismos e urgências de representatividade e identidade. “Desejamos que exista um convívio desses artistas com outros agentes da cidade e trabalharemos para a construção dessas redes. Estamos encantados com o grupo de artistas selecionados e agora iniciamos discussões importantes com as artistas convidadas e a comissão de seleção”, afirma Francisca.

“O programa é um dos projetos mais importantes da Fundação Municipal de Cultura. Realizado no Museu de Arte da Pampulha, é pioneiro em residências artísticas no Brasil. Trata-se de um programa de formação que propicia aos artistas um apoio financeiro para o desenvolvimento de pesquisas e trabalhos artísticos, com um acompanhamento de pesquisadores de trajetória reconhecida na área. De caráter experimental, o programa cria diálogos entre curadores e artistas, deslocando-os de seus contextos, trazendo para Minas Gerais discussões e reflexões sobre o que existe de mais atual em Arte Contemporânea brasileira”, afirma a presidente da Fundação Municipal de Cultura, Fabiola Moulin.

A Organização da Sociedade Civil JA.CA Centro de Arte e Tecnologia foi selecionada pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio de edital, lançado em julho de 2018, para atuar como parceira na produção do 33º Salão Nacional de Arte / 7º edição do Bolsa Pampulha, no Museu de Arte da Pampulha.

Leia mais

Bolsa Pampulha seleciona 10 artistas para residência em Belo Horizonte
Bolsa Pampulha destaca BH no cenário da arte

Compartilhar

X