Sem recurso do governo estadual, Hyperloop pode deixar Minas

Sem recurso do governo estadual, Hyperloop pode deixar Minas

Unidade da Hyperloop, em Contagem, RMBH – Foto: Divulgação

A americana Hyperloop Transportation Technologies, uma semente do visionário multiempreendor Elon Musk, que lidera a montadora Tesla e a companhia aeroespacial SpaceX, anunciou em abril do ano passado a inauguração de um centro de inovação em logística, em Contagem. Desde então, era unanimidade a empresa ser citada quando o assunto era a tentativa do Estado em se tornar um polo tecnológico de ponta. Era de causar entusiasmo a conta de que os aeroportos de Confins e da Pampulha teriam uma conexão em três minutos apenas. Era. Muito se falou, pouco se fez. As atividades nunca foram iniciadas e há ameaças de deixar Minas Gerais.

A empresa usa uma tecnologia idealizada por Musk (que não vem a ser sócio) para um transporte de alta velocidade, movido com ajuda de magnetismo numa espécie de tubo despressurizado, para permitir o menor atrito possível com o ar. O primeiro teste do transporte futurista da Hyperloop em pistas reais está planejado para acontecer ainda este ano em Toulouse (França). Já a primeira linha comercial é planejada para ser construída em Abu Dhabi.

O que diz o governo

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), os diálogos para a atração da Hyperloop iniciaram-se por esforços da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg). A necessidade apresentada seria de apoio de R$ 13 milhões, valor que representaria metade do custo total de instalação do centro de pesquisa e desenvolvimento. “Entendeu-se como mais oportuno que o recurso fosse obtido junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), entidade de administração indireto do Estado”, afirmou a Sedectes em nota.

A Fapemig, por sua vez, informou sobre a necessidade de que, assim como qualquer projeto apoiado pela Fundação, fosse apresentado projeto e respectivo plano de trabalho. A análise dos consultores técnico-científicos e pela Procuradoria do Estado apontou a necessidade de ajustes. “A Hyperloop não apresentou contrapartida consistente para o projeto de investimento no Estado”, explica a nota oficial. A então Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig) também analisou a possibilidade de investimento, que foi reprovada pelo Conselho de Supervisão de Fundos (Aerotec e Codepar).

O governo de Minas informou que se preocupa com a permanência da Hyperloop em Contagem e está aberto para discutir alternativas. Destacou, porém, que o Estado enfrente uma crise econômica e fiscal, sendo necessário readequar o valor de investimento solicitado pela empresa.


Leia mais: 
Hyperloop, Microsoft e WeWork participam do evento Futuro do trabalho
Hyperloop chega ao Brasil e planeja desenvolver transporte de passageiros e mercadorias em cápsulas
Hub Social: imposto de renda para projetos sociais
Itabira reúne lideranças do ecossistema de startups de Minas
Remederia: “iFood dos remédios” chega a BH
ExOs: o que podemos aprender com Netflix, Airbnb e Tesla
Startups x corporações: a consolidação da economia digital
Nova economia e inovação no jornal Estado de Minas

Compartilhar

X