Educação e tecnologia: Minas Gerais tem 11% das edtechs brasileiras

Educação e tecnologia: Minas Gerais tem 11% das edtechs brasileiras

Jeshoots/Unsplash

(Por Paola Carvalho*) – O Brasil conta com 364 edtechs, startups (empresas de base tecnológica) na área de educação, segundo pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups) em parceria com o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB). Estão distribuídas em diferentes segmentos: educação básica (47%), cursos livres (19%), corporativo (8%), ensino superior (6%), ensino de idiomas (4%), ou são atuantes em mais de um ao mesmo tempo (14%). Minas Gerais é o segundo estado com o maior número delas (11%), atrás de São Paulo (43%).

Empresas emergentes de tecnologia da educação enfrentam, no mundo todo, desafios como excesso de regulamentação e busca por talentos. No Brasil, há especificidades, fortemente influenciadas pela atuação governamental – quase 80% dos estudantes de educação básica frequentam escolas públicas. Diante desse cenário, as edtechs devem se atentar, segundo a CIEB, a quatro grandes vertentes de sustentabilidade: o mercado, seus produtos, as questões operacionais e as fontes de financiamento.

O estudo identificou ainda as principais especialidades das edtechs do país. As principais são de produção de conteúdo (61,6%), coleta de dados e processos (18,95%), monitoramento e gerenciamento de informações (4,94%), distribuição e venda de conteúdo (4,67%), realidade virtual e aumentada (1,92%), coaching e planejamento de carreira (1,64%), ferramentas de comunicação e interação (1,37%), análise e relatórios (1,37%), entre outras com participação menor que 1%.

Um dever de casa precisa ser feito por empreendedores, aceleradoras, educadores, instituições e órgãos públicos e gestores das instituições de ensino: levar inovação e tecnologia para o centro das discussões e, mais do que isso, das ações.

Edtech mineira

Desenvolvido em Belo Horizonte, o AppProva é um aplicativo que estende a escola para além das salas de aula. Adotado por mais de 800 escolas e instituições de ensino superior, engaja alunos, identifica dificuldades em cada conteúdo e habilidade e compara o desempenho individual e relativo a uma média nacional. Oferece simulados gratuitos para, por exemplo, preparação ao Enem, com correção em tempo real, otimizando o tempo do professor – que não mais precisa conferir a resposta escrita no papel por cada um. Mais de 1 milhão de usuários já estudaram pelo AppProva.

*Conteúdo da coluna Fora da Caixa, veiculado todo sábado na edição impressa do jornal Estado de Minas. Confira também os canais de vídeopodcast e instagram.

Leia mais
Não seja um; seja polímata. Sabe o que é?
Aula aberta e gratuita: Como preparar um negócio para o futuro?
Jovens querem empreender negócio próprio ou dentro de empresa. Por quê?
Transformação digital: você está preparado para a realidade híbrida?

Compartilhar

X