Projetos - Blank Space

Fora da Caixa/Estado de Minas

Coluna sobre nova economia publicada todo sábado na editoria Economia do jornal Estado de Minas e no portal Uai. Em 2018 ganha canal no Youtube. O espaço traz informações sobre inovação, economia criativa, cultura maker, os passos de empreendedores e projetos disruptivos. A intenção é acompanhar e registrar as iniciativas que estão mudando a cara da economia local, as pessoas e os coletivos que encaram um novo modelo de negócio e um talvez incomum propósito de vida. São ideias, protótipos, trabalhos, sonhos capazes de mudar o modo como produzimos, consumimos e vivemos.

E.L.A – Escola de Livre Aprendizagem

Comunidade para quem busca aprender e ensinar de um jeito diferente. Nos modelos de educação mais disruptivos, o professor do século XXI é acima de tudo um facilitador, que antes de oferecer o que sabe, propõe formas de explicitar a inteligência coletiva do grupo, valorizando e incentivando o que cada um tem a ofertar e aprender com o outro. A nossa intenção é formarmos um grupo de pessoas que compartilham questões que aprofundem conhecimento e experiências por meio de interações. Portanto, propomos realizar uma curadoria de conhecimento, para fomentarmos essas interações. E, assim, estaremos todxs engajadxs num processo de aprendizagem livre e coletivo. Nosso propósito é ainda o de valorizar o arquétipo de orientação feminina como um driver de mudança em busca de uma maior equidade de gêneros na chamada revolução 4.0, nos apoiando mutuamente por meio de nossas competências e habilidades – empreendedoras ou não. Somos também um movimento que acolhe as diferenças: de gêneros e de ideias. Somos #HeforShe.

FoodColab

Primeira plataforma colaborativa sobre alimentos, sustentabilidade e inovação do Brasil, dedicada a gerar conteúdo, conexão e negócios. Acreditamos no poder da coletividade. Portanto, confiamos que pessoas e marcas que pensam num impacto positivo para a sociedade e o meio ambiente possam contribuir para, juntos, criarmos um banco de notícias e outros conteúdos relevantes e confiáveis sobre alimentação, novas formas de produção e consumo, além de tecnologias relacionadas ao setor. Também acreditamos na colaboração e no compartilhamento de histórias para enriquecer um ambiente onde pessoas têm ou almejam os mesmos propósitos que as outras. A intenção é ser um centro de informação, um radar do ecossistema, uma comunidade, uma escola de cursos livres, uma vitrine de negócios, uma conectora de ideias e soluções.

Conexão Leopoldina

Para promover experiências, trabalhos e diversão em rede, a Conexão Leopoldina foi criada em 2017 com a necessidade de dar continuidade ao trabalho iniciado na Casa Leopoldina. Afinal de contas, empreendedorismo e comunicação fazem parte do DNA. Entre ações customizadas para empresas, é também realizado todo mês o meetup Café Y Otras Cositas Más. Para participar é só ficar de olho nos eventos criados nas redes sociais. Só é necessário fazer inscrição aqui porque a ideia é garantir uma troca intimista, divertida e produtiva. O grupo é pequeno, no máximo 10 pessoas. Porque acredito que o eu-empreendedor pode deixar um legado para a sociedade. E que a comunicação é um caminho para atingir esse propósito.

Chão Que Eu Piso

Paola Carvalho vem catalogando fotos de pisos encontrados em construções históricas de todo canto do mundo desde 2013, ano da criação do #chaoqueeupiso. Junto com a sócia Raíssa, o projeto tornou-se um negócio e soma hoje mais de 220 histórias e 10.500 registros de pisos enviados por colaboradores de vários países, como México, Polônia, Vietnã, Marrocos, França, Itália e Estados Unidos. A ideia é não apenas destacar a beleza estética do chão, como também chamar a atenção para as histórias que esses pisos testemunharam e o estilo que eles carregam. Os traços, especialmente de ladrilhos e parquets, dão formas a produtos personalizados.

Casa e Chão

Por meio de uma campanha de financiamento coletivo de sucesso, o projeto Chão Que Eu Piso, em parceria com o Casas de BH, lançou o livro Casa e Chão: Arquitetura e Histórias de Belo Horizonte. Os três autores são apaixonados pelos detalhes da paisagem urbana, obcecados por ladrilhos antigos e fachadas de casarões que resistem aos séculos, às intempéries e ao crescimento desordenado das cidades. Portanto, a intenção foi fazer um inventário fotográfico e informativo de casas antigas e de seus respectivos pisos. A obra revela histórias públicas e privadas, relatos de famosos e anônimos, estilos artísticos, costumes e tradições, detalhes arquitetônicos, influências culturais e várias outras características da época da construção da capital até os tempos atuais. Ou seja, um verdadeiro retrato da evolução da paisagem urbana de Belo Horizontes.

Caçada nos Mares Proibidos

O Caçada nos Mares Proibidos – Aventuras na Rota da Índia, lançado em 2012, é o primeiro e-book de aventuras históricas interativas do país. Voltado para o público juvenil, é o primeiro da série Spadah (Sistema Paradidático de Aventura de Decisão em Ambiente Histórico), desenvolvida por Paola e pelo também jornalista Mateus Parreiras.
No modelo, ao final de cada capítulo o leitor tem duas opções para seguir com a leitura. A interatividade permite voltar na história para escolher outro caminho e, se não chegar ao final esperado, pode escolher outro. Não é um livro que precisa ser lido por completo, em uma única vez, pois são 23 finais diferentes.
O Caçada conta a história do grumete português Eusébio, que embarca por mares desconhecidos numa missão secreta que pode garantir o comércio entre Portugal e Índia. Mas como é o leitor quem define a história, o personagem principal pode leva-lo à África, ao Egito, a selvas e a mares que poucos se atreveram explorar. No caminho de tesouros e perigos surpreendentes, o leitor encontra personagens épicos, como Vasco da Gama e Pedro Álvares Cabral.
X