Mercado da boca: cinco motivos para ser um lugar de encontros

Mercado da Boca: cinco motivos para ser um lugar de encontros

Crédito: BS Fotografias

Com investimento de R$ 8 milhões, abre as portas para o público nesta quinta (8), no Jardim Canadá (Nova Lima), o Mercado da Boca – um espaço de 4.000 metros quadrados que reunirá alguns dos principais agentes da gastronomia mineira. A expectativa é receber, nas grandes mesas a serem compartilhadas, em torno de 40 mil pessoas ao mês, provocando a geração de cerca de 300 empregos diretos e mais de 4.000 indiretos, segundo o sócio Renato Guerra. Inspirado em mercados gringos, como o da Ribeira (Lisboa) e o de San Miguel (Madrid), a ideia é que a unidade de Nova Lima seja piloto de um projeto que, no futuro, será levado para outras cidades brasileiras. Não é um lugar para se fazer a “feira da semana”, mas sim para degustar ali o melhor das cozinhas espalhadas por Beagá. É um lugar de encontros entre:

1. Chefs tradicionais, como Ivo Faria (Vecchio Sogno) e Flavio Trombino (Xapuri), com contemporâneos, a exemplo de Fred Trindade (Trindade) e Felipe Rameh (Alma Chef e Green Up)
2. Cozinhas de todo mundo: francesa, mexicana, italiana, portuguesa, havaiana, americana…
3. Bebidas de diferentes origens, especialmente cervejas artesanais, vinho, drinks e cafés especiais
4. Moradores, turistas e famílias: abriga mesas compartilhadas, espaço para crianças, loja de souvenirs e estacionamento
5. Quem é de almoço, quem é de jantar: funciona quinta (17h às 24h), sexta e sábado (12h às 24h), domingo (11h às 20h)

Crédito: BS Fotografias

Compartilhar

X