Makerspaces: Faça você mesmo - Blank Space

Makerspaces: Faça você mesmo

A criação e a expansão de Fab Labs (laboratórios de fabricação, no inglês) em Belo Horizonte fortalece o chamado movimento maker, uma extensão da cultura do “faça você mesmo”. Essa realidade, na verdade, existe há décadas. Foi no Homebrew Computer Club (Clube dos Computadores Caseiros) que Steve Jobs deu largada à Apple. Fabricar objetos e projetos com as próprias mãos foi responsável desde sempre pela criação e evolução de indústrias inteiras. O diferente agora é a popularização e a reunião em um só lugar de tecnologias, ferramentas e maquinários sofisticados, como a impressora 3D, disponibilizados ao público a baixo custo e até mesmo de forma gratuita.

O conceito de Fab Lab foi criado há mais de quinze anos, no Massachussets Institute of Technology (M.I.T) e se tornou uma rede que conecta hoje 1.147 unidades em 106 países, sendo 40 no Brasil e três em Minas Gerais: Fab Lab Newton Paiva (Belo Horizonte), Isvor Fab Lab (Betim) e Fab Lab Inatel (Santa Rita do Sapucaí).

O da capital mineira é um laboratório coletivo de tecnologia livre e compartilhada, onde estudantes, empresas, especialistas e curiosos podem usá-lo, da criação do projeto até à execução de uma determinada peça, sem pagar nada. Ali, em apenas sete meses, foram desenvolvidos, por exemplo, mais de 800 projetos de 3D, mobiliários, eletrônicos, gerando novos negócios.

Fora desse grupo internacional, há outras iniciativas locais, como o Senai Laboratório Aberto, que investiu pesado para oferecer um ambiente com equipamentos, ferramentas e técnicos. Se uma pessoa tem uma ideia, pode pagar uma diária de R$ 30,00, ou uma taxa mensal de R$ 105,00, para tirá-la da cabeça. Quer fazer você mesmo? Procure um local como esses.

 

Compartilhar

X