Economia da emoção: conte histórias para vender mais

Economia da emoção: conte histórias para vender mais

(Belo Horizonte, Paola Carvalho) – Não há como medir a profusão de informações que nos cercam hoje. Nesse turbilhão de palavras que selecionamos ler ou ouvir todos os dias estão aquelas que nos levam a decidir pela compra – ou não – de um produto. Nas prateleiras de supermercados, as embalagens são cada vez mais poderosas, mas estão longe de serem as únicas fontes de comunicação com o cliente no exato momento da aquisição. Puxar o celular do bolso para fazer uma pesquisa imediata é algo automático. Curioso observar que, em Belo Horizonte, é fortalecido o movimento pela busca das histórias de produtores e vendedores, para além das informações técnicas e óbvias. Feiras e eventos que promovem conexões entre o empreendedor e o cliente tornam-se cada vez mais frequentes e potentes.

Consumidores têm curiosidades, questionam e se emocionam – grande parte das decisões de compra das pessoas são tomadas de forma inconsciente. Antes, você podia escolher um produto que atendesse apenas a sua necessidade – um café qualquer para as manhãs em família, por exemplo. Um outro passo foi dado: o produto precisa conter valores dos quais você acredita, como responsabilidade social e preservação do meio ambiente. Foram criados certificações e selos. Agora, de forma mais intensa, mais um ingrediente foi acrescentado ao processo: o storytelling, ou seja, a real história de quem produz, de quem vende… Sim, produtos com histórias parecem vender mais.

Para uma imersão nesse processo vale participar de encontros promovidos por projetos belo-horizontinos como o Húmus: adubo para pessoas, Movimento Ímpar e Escola Tecendo Saber. Visite estabelecimentos como a De-Lá (Rua Santa Rita Durão, 919, Savassi), o Incontrês (Av. Carandaí, 420), a Casa Horta (Boulevard Shopping) e a Mooca (Rua Antônio de Albuquerque, 458). Frequente eventos, a exemplo das feiras Fresca, Terra Viva e Nossa Grama Verde. São oportunidades para usar cada vez mais o coração, e não só a razão, para saber como tomar boas decisões de compras. E em diferentes áreas, como alimentação, objetos de design, moda e acessórios.

Assista abaixo palestra de Iza Dezon sobre a economia do afeto no TEDx Mauá.

Leia mais:

Capitalismo: ideologia ou sistema operacional

Capitalismo consciente: bem estar social para além do lucro

Consumo consciente: o outro lado da moeda

*Conteúdo da coluna Fora da Caixa, publicada na edição impressa do jornal Estado de Minas aos sábados.

Compartilhar

X